Tag Archives: Lei

Semiologia dos meios: Comunicação em rede contra os monopólios midiáticos foi tema de I roda de conversa promovida pela Santa Luz Fm

Na noite da última Segunda-Feira (26), a Associação de Radiodifusão Comunitária Santa Luz FM em parceria com a Rádio Web Pós-Crítica do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural da Universidade do Estado da Bahia – UNEB – Campus II – Alagoinhas, promoveu a I Roda de Conversa com o tema: Semiologia dos meios: comunicação em rede contra os monopólios midiáticos.

O evento aconteceu na sede da APLB de Santa Luz, situada no Território do Sisal, e contou como animadores da mesa temática o Comunicólogo Edisvânio do Nascimento Pereira (mestrando em Crítica Cultural/UNEB); Profa. Dra. Jailma dos Santos Pedreira Moreira (Pós-Crítica/UNEB) e Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos (Pós-Crítica/UNEB) e contou com as presenças de lideranças sociais, políticos, profissionais da educação, agitadores culturais, estudantes, comunicadores e sites locais.

De acordo com Edisvânio Nascimento “A ideia neste primeiro momento foi trazermos algumas imagens e reflexões acerca do cenário atual, no que diz respeito à compreensão dos sistemas de significação desenvolvidos pela sociedade brasileira, sobretudo, no que se refere à importância da comunicação em rede para o enfrentamento contra os monopólios midiáticos, além disso, ampliar a discussão envolvendo lideranças sociais, profissionais da educação, agitadores culturais, estudantes e todos aqueles que pensam no ser humano como seres humanos”.

O comunicólogo ressaltou a importância do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural e da implantação da Rádio Web Pós-Crítica, a “qual será uma grande parceira da Santa Luz FM e que sem dúvidas vai proporcionar o encurtamento da distância entre o mestrado, a Universidade e Santa Luz, e claro, o território do Sisal. Nosso pensamento é criarmos grupos que possam pensar estratégias para o enfrentamento dos oligopólios, combatermos com o bom combate estas barbáries e conteúdos que estão sendo “enfiados” de forma verticalizada, ditatorial e alienadora das mídias golpistas, orquestrada por um projeto neoliberal que está a serviço de interesses patriarcais e de uma burguesia fascista e falso moralista, que por muitas vezes falam as suas verdades e provocam assim a dominação por meio de seus discursos reacionários, misóginos, rancorosos, preconceituosos, homofóbicos, legalistas, cerceando a liberdade de pensamento e de expressão das classes trabalhadoras, que sem sombras de duvidas é a maior reserva deste país.” Concluiu Edisvânio.

Para o Prof. Dr. Osmar Moreira dos santos é importante destacar que gostou muito do evento e enfatizou a qualidade e forças de três coisas “1) o profissionalismo e compromisso social da equipe da rádio comunitária de Santa Luz; 2) pelo alto nível da discussão sobre semiologia dos meios: comunicação em rede para combater os oligopólios midiáticos; 3) pelos encaminhamentos finais visando a parceria entre a rádio comunitária, o Pós-Critica, e movimentos sociais, associações docentes e discentes, com o objetivo de resistir ao estado de exceção instalado recentemente no Brasil”.

Osmar finalizou dizendo que “Nossas lutas coletivas serão imprescindíveis para fazer retornar a normalidade democrática, anular e enxotar os golpistas, e conquistar a cidadania cultural do Brasil, que estava em curso entre 2002-2014”.

De acordo com a Dra. Jailma dos Santos Pedreira Moreira “o encontro foi muito bom. Uma conversa qualificada com pessoas interessadas, mobilizadas. Penso que, como dissemos, pode significar um encontro entre tantos outros agenciamentos que poderemos desenvolver em conjunto, em parceria para se pensar, articular uma outra cadeia produtiva, em contraponto a uma ordem discursiva capitalista, patriarcal, etnocêntrica, excludente”.

De acordo com Maria Amélia Nascimento que é Mestre em Educação pelo Programa de Pós-Graduação da UNEB Campus I em Salvador e Professora da rede municipal de ensino há mais de 20 anos, “o evento semiologia dos meios: comunicação em rede para combater os oligopólios midiáticos, realizado ontem, foi importante, principalmente pelas reflexões e fundamentos que os palestrantes Edisvânio Nascimento; Profa. Dra. Jailma dos Santos Pedreira Moreira e Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos abordaram sobre os conteúdos que as redes/mídias de comunicação e informação disseminam para as massas. E o modo como essas informações influencia a vida das pessoas tanto individualmente quanto na coletividade”.

Maria Amélia destacou ainda que “foi um evento importante, necessário para que a comunidade luzense possa pensar melhor o momento sobre o poder das grandes mídias, e, assim buscar outras formas de enfrentamento. Por outro lado, foi gratificante, prestigiarmos a nossa conterrânea a Dra. Jailma Pedreira que de modo muito simples e emocionante falou sobre seu trabalho como educadora e pesquisadora”.

Já Clenildo da Cunha Peixinho, Diretor da APLB/Sindicato delegacia Sisal Norte Santa Luz, destaca a gratidão da APLB pela oportunidade de participar da I Roda de Conversa e aproveitou para “parabenizar e agradecer a Rádio Comunitária Santa Luz FM e o Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural da Universidade do Estado da Bahia, Campus II – Alagoinhas, que segundo ele, “foi a realização do grandioso evento, ocorrido no auditório da APLB”.

Clenildo aproveitou também para agradecer ao comunicador Edisvânio Nascimento pela mediação, à Dra. Jailma Pedreira e ao Dr. Osmar Moreira e acrescentou considerando “que foi um evento que vai repercutir no município de Santa Luz, por estarem presentes Educadores e Sociedade Civil, de grande influência no município”. Ainda de acordo com Clenildo, a “discussão foi muito qualificada, que deixou o desejo da realização de outros encontros para tratar da temática: Semiologia dos meios: comunicação em rede contra os monopólios midiáticos. Parabéns a todos os envolvidos! Concluiu.

Após a roda de conversa foram lançados os livros: Um Oswald de bolso (Quarteto, 2010); A luta desarmada dos subalternos (Ufmg, 2016); Primeiros passos de um crítico cultural (EdUNEB, 2016); Folhas venenosas do discurso (Quarteto, 2002) e Arquivos testemunhos e pobreza no Brasil (Eduneb, 2016).

O evento teve como organizadores a Rádio Comunitária Santa Luz FM, Rádio Web Pós-Crítica – UNEB – Alagoinhas e contou com o apoio cultural da APLB de Santa Luz e dos sites Vem Ver cidade e Notícias de Santa Luz.

 

Redação: Santa Luz FM

Chefe do setor de limpeza do município de Santa Luz faz esclarecimentos sobre atrasos na entrega de equipamentos de proteção e diz que o problema está na empresa que ganhou a licitação.

O setor de limpeza da prefeitura municipal através do seu chefe Lucival Moreira se pronunciou hoje (10), sobre a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) cobrado ontem no Radio Revista da Santa Luz FM.

A denúncia ocorreu no programa de ontem, quando um funcionário do setor identificado como Nilson Sarapião disse que fez metade do percurso descalço, já que seu chinelo quebrou. Nilson disse também que não sabia como trabalhar hoje já que o salario só sai no final do mês e segundo ele não tinha dinheiro para comprar outro.

Uma ouvinte do programa, ao ouvir o depoimento do rapaz, à reportagem ligou para a Santa Luz FM e se prontificou em doar o sapato para o rapaz poder ir para o trabalho.

Hoje o chefe do setor de limpeza Lucival Moreira disse que o funcionário está no seu direito de denunciar e admite que está sendo uma falha do setor por não ter entregue ainda os EPIs, aos servidores.

Lucival acrescentou também que o atraso da entrega dos EPIs foi devido à licitação, que segundo ele, a primeira empresa contratada não entregou o material no prazo e a segunda empresa que fica em Feira de Santana não tem o número ideal para atender a demanda dos servidores.

Em seu Art. 166, a CLT determina que: “A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, equipamento de proteção individual adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e funcionamento, sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes e danos à saúde dos empregados.” (Redação dada pela Lei nº 6.514, de 22.12.1977).

Redação Edisvânio Nascimento. Com reportagem de Dil Carmo.

Senadores criticam pressa para aprovação da Lei da Palmada

Em reunião tensa, a Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado discute hoje (4) a proposta conhecida como Lei da Palmada. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), pretende incluir ainda nesta quarta-feira a matéria na ordem do dia do plenário da Casa, mas, para isso, a proposta precisa ser aprovada na CDH onde um grupo de parlamentares crítica a pressa para a votação.

Diante do impasse Renan, que, como presidente da Casa, não participa de comissões, foi pessoalmente à CDH fazer um apelo para que os senadores integrantes da comissão votem a matéria ainda hoje. “Vim fazer apelo para que nós deliberássemos hoje aqui nesta comissão para que ela vá para o plenário”, disse Renan, garantindo que, em plenário, os senadores terão o tempo que for necessário para debater o tema.

Ainda na CDH, Renan destacou que o país tem o maior índice de lesão contra crianças e adolescentes no mundo e considerou absurda a defesa da tese de que criança “pode receber maus-tratos”.

Hoje a apresentadora Xuxa Meneghel, que acompanhou a votação da proposta na Câmara dos Deputados, vem ao Senado, onde será recebida às 16h por Renan. Senadores como Magno Malta (PR-ES) acusaram o presidente do Senado de agir, apressadamente de forma eleitoreira, por causa da presença de Xuxa na Casa.

O senador Pedro Simon (PMDB-RS), colega de partido de Renan, considerou “lamentável” o apelo do presidente do Senado na CDH. Diante do impasse Malta pediu vista da matéria, o que forçaria a comissão a adiar a apreciação da proposta até sua próxima reunião. O senador capixaba, no entanto, foi derrotado por outro pedido de vista, desta vez, de Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), que defendia prazo de apenas 30 minutos para que os senadores voltassem a analisar a proposta. Com isso, a sessão na CDH será retomada em instantes para resolver a questão.

“Eu vou trabalhar tudo para que [a proposta] seja aprovada hoje. Esta é uma questão em que o mérito, o conteúdo, vale muito mais que a forma. O Brasil é o país que mais maltrata crianças e adolescentes no mundo. Chegou o momento inevitável da história brasileira em que deve ser dito, basta!”, defendeu Randolfe.

O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 58/2014 altera o Estatuto da Criança e do Adolescente e prevê que eles sejam educados e cuidados sem o uso de castigos físicos ou de tratamento cruel ou degradante. O texto define castigo como a “ação de natureza disciplinar ou punitiva com o uso da força física que resulte em sofrimento físico ou lesão à criança ou ao adolescente”. Já o tratamento cruel ou degradante é definido como “conduta ou forma cruel de tratamento que humilhe, ameace gravemente ou ridicularize a criança ou o adolescente”.

Informações Agencia Brasil.