Santaluz adere à campanha nacional contra hanseníase, verminoses e tracoma

A Secretaria Municipal de Saúde, de Santaluz, por meio da Coordenação de Vigilância Epidemiológica aderiu à campanha Nacional contra a Hanseníase, verminoses e Tracoma.

A campanha acontece este mês e é realizada em parceria com o Ministério da Saúde. O objetivo da ação é proteger crianças e adolescentes estudantes de escolas municipais, com idade entre 5 e 14 anos, contra essas doenças e alertar pais e professores sobre os seus sintomas.

A campanha visa à detecção precoce dos casos de hanseníase e encaminhar para o tratamento preventivo (profilático) de verminoses, detecção e tratamento de casos de tracoma em meninos e meninas de 5 a 14 anos.

Durante a ação, os alunos serão examinados e, se necessário, medicados contra os vermes e o Tracoma, que é um tipo de doença inflamatória dos olhos que quando não tratada pode levar à cegueira.

Gislaine Mota Góis, Coordenadora da equipe de Vigilância Epidemiológica destaca como está acontecendo a campanha em Santaluz.

Gislaine explica também sobre o que é hanseníase, os preconceitos que ainda existem com as pessoas que contraem a doença e as maneiras que os indivíduos podem contrair a doença, pois ela também é contagiosa.

Ela disse também que a hanseníase é uma doença que acomete pele e nervos e que causa incapacidades, mas que se trata de uma doença que hoje tem cura.

Gislaine Mota Góis fala também o que é tracoma, os seus sintomas e explica que entre os principais riscos que a doença pode oferecer é que pode levar a cegueira.

A Coordenadora disse a maneira que a campanha vai acontecer nas escolas e disse também que é muito importante que haja a sensibilidade e o envolvimento dos pais para que todos participem colaborando com a campanha.

Gislene concluiu dizendo que conta muito com a colaboração de todos, pois segundo ela, só assim a campanha será bem sucedida no município.

Edição: Edisvânio Nascimento.